Adotar um animal de estimação é, além de um ato de amor, uma forma de alegrar sua rotina. Ter um pet em casa certamente é garantia de ter um companheiro para todas as horas, com direito a diversão e afeto por parte dele. Porém, é preciso analisar bem se você terá tempo para cuidar do pet e também se sua casa está apta a receber o novo morador.

Se você está pensando em adotar um pet, seja ele um gato ou um cachorro, leia algumas considerações que listamos para que você possa fazer uma adoção com certeza de que seu novo amigo será recebido da melhor forma. Confira!

 

ORGANIZAÇÃO É FUNDAMENTAL

Antes de adotar um pet, já planeje as ações que você irá fazer com seu novo animal durante o dia. Você provavelmente tem muitas tarefas a desempenhar, por isso é fundamental se organizar para acabar não deixando o animal de lado.

Programe horários para levá-lo a passeios, para colocar ração e trocar água, entre outras coisas. Seu animalzinho se acostuma facilmente com os horários, evitando que ele fique pedindo para sair em momentos aleatórios, por exemplo. Ou seja: a criação de uma rotina é ótima para você e ele.

 

ESCOLHA O ANIMAL CERTO PARA SUA ROTINA

Para escolher o pet que mais se adeque a sua rotina, você precisa entender como ela funciona e em quais espaços de tempo você poderá dedicar-se a ele. Outra coisa: as personalidades de cães e gatos são muito diferentes. Consequentemente, eles demandam porções de tempo específicas de seus donos.

Os cães são mais ‘carentes’ por natureza. Portanto, exigirá que seu dono seja mais presente. Além disso, o espaço que um cachorro precisa dentro de casa para viver com conforto vai variar de acordo com sua raça. Gatos, por sua vez, são mais independentes e se adaptam bem a rotinas onde seu criador não passe tanto tempo em casa. Porém, é preciso ter cuidado para não deixá-lo livre demais, principalmente se você morar em apartamento.

 

FALE COM OS OUTROS MORADORES DA CASA

Caso você more com outras pessoas, é fundamental que elas também desejem o pet em casa. Afinal, cuidar de um animal doméstico exige que todos os moradores da casa, uma hora ou outra, cuidem dele de alguma forma. Portanto, antes de adotar um pet, converse com todos os moradores e entrem em um consenso sobre os cuidados que cada um precisará assumir.

 

ANALISE O COMPORTAMENTO DO SEU OUTRO PET (SE TIVER)

Outra coisa que você precisa se atentar antes de adotar um pet é o comportamento do que você já tem em casa, caso possua. Pode ser que ele seja ciumento ou possessivo com as pessoas do lar e fique bravo quando outros animais se aproximam ou brincam com elas. Nesse caso, é provável que a adaptação ao novo amiguinho não seja fácil. Isso não é motivo para desistir da nova adoção, mas é preciso tomar algumas precauções.

 

CARTÃO DE VACINAÇÃO

Assim que adotar seu novo pet, providencie o quanto antes o cartão de vacinação dele. Na maioria das vezes, animais adotados em feiras já possuem a vacinação em dia e uma carteira onde constam as vacinas que ele já tomou. Porém, atente-se a esse detalhe para saber como anda a saúde do seu novo bichinho.

 

SEJA RESPONSÁVEL

Não adianta adotar um pet e deixá-lo à deriva após algum tempo. É preciso ter ciência que os cuidados com gatos e cachorros são contínuos e demandam um tempo razoável do seu dia. Portanto, antes de adotar, analise se você realmente está disposto a cuidar do pet do jeito certo. Afinal, eles se apegam com facilidade aos novos donos e devolvê-los após certo tempo pode fazer muito mal (inclusive à saúde) deles.

 

ESTEJA CERTO DE SUA ESCOLHA

Quando tomar a decisão de adotar um bichinho, o faça com certeza. O período de adaptação de um animal recém-adotado varia entre três e 15 dias, tanto para você quanto para o pet. Porém, o bichinho se apega com muita facilidade ao novo dono, e se desfazer deles após uma adoção o fará sofrer e até causar problemas de saúde.